O DOM DE LÍNGUAS E A MISSÃO: IMPLICAÇÕES PARA A IGREJA ADVENTISTA

  • Kuhn Wagner
Palabras clave: Dom de línguas – Missão – Espíritu Santo.

Resumen

Os dons que o Espírito Santo concede aos membros da igreja estão ligados precisamente com o cumprimento da ordem dada por Cristo de “ir, fazer discípulos, batizar, e ensinar” descrita na grande comissão evangélica de Mt 28,18-20. De maneira similar, a ordem de Jesus de “Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura”, descrita por Mc 16,15-18, liga a tarefa de pregar o evangelho com o falar em línguas (glossolalia) - sinal que acompanharia o crente-discípulo-missionário ao obedecer tal ordem.Devido às poucas referências bíblicas ao dom de falar em línguas1 e, ao mesmo tempo, à advertência de Paulo para se fazer tudo com o objetivo de edificação dos membros do corpo de Cristo (a igreja), em ordem e com compreensão, nota-se que o dom de línguas, para alguns, tornou-se quase que desnecessário ou mesmo insignificante. Assim, a tarefa de pregar o evangelho, pelo menos no contexto da missão adventista, é vista como devendo ser cumprida sem a necessidade de se receber e praticar o dom de línguas. Já, para milhões de cristãos, não existe missão sem o recebimento do Espírito Santo, o qual é evidenciado pelo dom de falar em línguas. E neste contexto, não seria importante que façamos uma reavaliação da reação negativa que alguns demonstram em relação ao movimento carismático, especialmente em face de a missão adventista ser abarcante e incluir a todos? AbstractThe gifts that the Holy Spirit grants to church members are directly linked to the fulfillment of the order given by Christ to “go, make disciples, baptize and teach” as described in the great gospel commission of Matthew 28,18-20. In a similar manner, Jesus´s order to “go through all the world, and preach the gospel to every creature,” described in Mark 16,15-18, links the task of preaching the gospel with speaking in tongues (glossolalia) as a sign that would accompany the believer-disciple-missionary as he/she obeyed such an order. Due to the few biblical references pointing to the gift of speaking in tongues and, at the same time, to Paul’s warning to do everything with the aim of edifying the members of Christ’s body (the Church), in an orderly manner and with understanding, it is apparent that to some, the gift of languages has become almost unnecessary or even insignificant. Therefore, the task of preaching the gospel, at least in the Adventist mission context, is seen as having to be fulfilled without the need of receiving nor practicing the gift of tongues. Yet, to millions of Christians, there is no mission without the reception of the Holy Spirit, as evidenced by the gift of speaking in tongues. Now, in this context, would it not be important to re-evaluate the negative reaction that some show in relation to the Charismatic movement, especially in light of the Adventist mission to embrace and include everyone?
Publicado
2016-05-12
Sección
Artículos